A Senhora da Graça, em Mondim de Basto, onde hoje terminou a quarta etapa da Volta a Portugal é um local único do ciclismo português. Criou-se em torno do monte Farinha uma aura de certo modo mítica, de tal maneira que é, provavelmente, o local de maior romaria popular de toda a prova.

gustavoveloso_w52

-Publicidade-

Gustavo Veloso (W52-FC Porto) venceu a 4ª etapa em linha da Volta a Portugal 2016, 191,9 quilómetros entre Bragança e o alto da Senhora da Graça, e confirmou ser o grande candidato a ganhar a corrida pelo terceiro ano consecutivo. Esta foi, de resto, a única das tiradas da Volta deste ano com uma chegada em alta montanha.

Veloso atacou fortemente no último quilómetro, quando seguia na companhia de Joni Brandão (Efapel), que tinha atacado logo no início da subida, mas nunca conseguiu deixar o espanhol para trás. No quilómetro final, Gustavo César Veloso escolheu o momento que quis para atacar e deixar Joni Brandão para trás para ultrapassar Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista), acabando por vencer solitário.

Terminou com 5 segundos de vantagem sobre Daniel Silva e com 12 à melhor sobre Joni Brandão.

“Sabia que o Joni tinha de atacar. Quando ele arrancou não hesitei, fui para a roda para não lhe dar um metro. A meio da subida, para o pôr nervoso, ainda ataquei. No último quilómetro calculei e melhor altura para vencer a etapa sem prejudicar o Rui Vinhas”, contou o vencedor da etapa.

Apesar da vitória, Veloso tem ainda uma desvantagem de para o seu colega de equipa Rui Vinhas, que segurou a amarela. O português defendeu-se bem na montanha e chegou num segundo grupo.

A W52-FC Porto fica, assim, com dois claros candidatos a vencer: Rui Vinhas e Gustavo Veloso, agora primeiro e segundo da classificação geral.