David Rosa foi 24.º classificado em Albstadt (Alemanha) na segunda corrida pontuável para a Taça do Mundo.

david-rosa-equipa-portugal

-Publicidade-

No arranque da campanha internacional da Equipa Portugal em provas da Taça do Mundo 2018, o campeão nacional encetou uma autêntica corrida de perseguição para fechar com 4m52s de atraso para o vencedor, o campeão mundial Nino Schurter. O ciclista helvético respondeu ao ataque do holandês Mathieu Van Der Poel para passar a liderar a corrida quanto restavam duas voltas. O forcing final de Schurter, já na derradeira volta de um circuito com muita lama, permitiu-lhe destacar-se do francês Stephane Tempier e acumular, à vitória folgada, a liderança da Taça do Mundo de XCO após duas provas pontuáveis.

Na principal competição do programa de Albstadt alinhou ainda Mário Costa. O atual líder da Taça de Portugal de XCO, correu com as suas cores de equipa e, malgrado uma queda, terminou a prova na 68.ª posição. De manhã, outras atletas portuguesas entraram em ação. Na corrida de Elites femininos, Joana Monteiro foi 65.ª classificada, ao passo que a estreante Marta Branco, na prova feminina sub-23, concluiu a sua corrida na 44.ª posição.

Foi uma boa prestação do David Rosa que, por pouco, não fechou no “top-20”. Estamos a dar início às competições da Taça do Mundo e esta participação em Albstadt teve duas componentes muito importantes. A primeira foi dar ao ritmo ao David Rosa que está prestes a enfrentar um período de competições importantes e nas quais precisamos de somar pontos para o apuramento olímpico. A segunda componente diz respeito à juventude. Sete dos oito elementos desta convocatória tem entre 16 e os 19 anos, ou seja, é uma seleção muito jovem, com uma ideia muito clara de dar formação e proporcionar experiências competitivas internacionais para, mais tarde, fazer a natural renovação da seleção“, evocou o selecionador nacional Pedro Vigário.

Acima de tudo feliz por finalmente fazer uma corrida este ano sem problemas mecânicos ou físicos! Apesar deste não ser o meu melhor resultado numa Taça do Mundo tenho a consciência de que me adaptei bastante bem a um circuito que estava extremamente traiçoeiro e com o terreno muito pesado. Arrancando com o dorsal 42 cheguei a rodar em 19° mas a cerca de 2 voltas do fim eventualmente comecei a pagar o esforço e passei para 24°. De qualquer maneira, encaro isto como um bom resultado de partida depois de tudo o que se tem passado. Já tinha saudades de uma corrida de Taça do Mundo!“, publicou David Rosa na sua página de facebook.

A Equipa Portugal segue, depois de amanhã, para a República Checa na qual alinhará, no próximo fim-de-semana, na terceira prova da Taça do Mundo de XCO, em Novo Mesto na Morave.