A Câmara de Oliveira de Azeméis equipou o centro da cidade com uma rede de 20 bicicletas elétricas, disponíveis para aluguer em três postos de carregamento, que visam estimular deslocações mais benéficas para a saúde e o ambiente.

oliveira_azemeis

-Publicidade-

O investimento na aquisição e instalação da rede Biclaz foi de 70.000 euros e, na prática, resulta num sistema de “bike sharing” em que os utilizadores alugam uma bicicleta, levantam-na num dos três pontos de abastecimento elétrico existentes na cidade e podem entregá-la ao final do dia em qualquer posto da rede, consoante a localização que lhes seja mais conveniente.

“Estas bicicletas não andam sozinhas, mas quase”, declara à Lusa o presidente da autarquia, Hermínio Loureiro. “Apostámos nas elétricas para facilitar uma locomoção mais suave onde houver declives e para garantir aos ciclistas viagens quase sem esforço, porque a finalidade do projeto é mesmo incentivar as pessoas a utilizarem meios de transporte mais sustentáveis, que não poluam o ambiente e ainda façam bem à saúde”, defende.

A primeira via exclusiva à circulação das Biclaz está em fase de conclusão e liga a zona desportiva à área das escolas, no centro da cidade, e insere-se num “projecto ambicioso que passa pela construção de 17 km de ciclovia até 2020”, explicou o autarca. Os três postos criados para carregamento da bateria dessas bicicletas localizam-se na praça da Cidade, no largo da República e junto às Piscinas Municipais. Futuramente, deverão chegar também às freguesias de Cucujães e Carregosa, que, num estudo prévio, foram as que manifestaram maior interesse neste tipo de equipamento.

Cada bicicleta está equipada com cesto, indicador de carga e sistema de localização geográfica, apresentando autonomia elétrica para cerca de 40 quilómetros (no que influi sempre o nível de energia exigido do veículo). Uma vez consumida essa carga, a bicicleta funcionará apenas no formato tradicional, com recurso ao impulso proporcionado pelo utilizador.

O primeiro acesso à rede Biclaz obrigará o utente à compra de um cartão identificativo pelo preço de 10 euros, mas o aluguer das bicicletas será gratuito durante o ano de estreia do serviço. O seu uso só será efetivamente cobrado a partir de agosto de 2017, ao preço de 50 cêntimos por cada 15 minutos de utilização, adianta a autarquia.