É normal que com a utilização da bicicleta, alguns componentes tenham de ser substituídos devido ao seu desgaste. Fazemos isso com os pneus, as pastilhas de travão… mas por vezes a corrente fica esquecida! Muitos ciclistas não têm sequer em lembrança que a corrente tem uma vida útil, e se não tivermos atento a esse desgaste, isso pode afectar a eficiência na troca das velocidades e até alterar a condição dos restantes componentes da transmissão.

É fácil esquecer, já que uma corrente com boa manutenção não range, e se tudo está a funcionar correctamente, porquê substituí-la?

Como ocorre o desgaste da corrente?

-Publicidade-

Uma corrente ao ser utilizada, sofre uma carga nos seus elos provocada pela tracção do pedaleiro e cassete, onde as roldanas e rebites se desgastam, fazendo com que a corrente estique e se estenda. Isso causa a perda das propriedades de se encaixar perfeitamente nos dentes da transmissão, e essas imperfeições de encaixe acabam por forçar demais pontos isolados da corrente pelo atrito causado fora da posição ideal.

Esta situação, pode fazer com que a corrente parta, originado até uma queda, e pode desgastar os dentes do sistema de transmissão devido ao desalinhamento entre as partes móveis. Ao pedalar assim por muito tempo podes vir a ter de substituir tanto a corrente como metade do conjunto de transmissão.

As correntes sofrem um desgaste natural ao pedalar, por atrito entre as partes metálicas, mas isso é agravado (principalmente no BTT) pelas areia, poeira, lama e outros fatores do offroad, que pode atacar as correntes.

Tempo de vida útil da corrente

Apesar das recomendações gerais e do tempo de vida útil aconselhado por cada marca, a verdade é que o tempo de vida útil varia, dependendo das circunstancias em que pedalas e a manutenção que adoptas. A manutenção é, talvez, a regra mais importante – uma corrente regularmente limpa e lubrificada durará muito mais do que uma que rola com sujidade ou detritos.

Existem algumas formas de saber se precisas de uma nova corrente para a bicicleta, sem ser controlando a quilometragem, já que esta não é a maneira mais fiável.

Como medir o desgaste da corrente?

Levantar a corrente

A forma mais fácil e rápida que não requer nenhuma ferramenta, embora menos precisa, de determinar a necessidade de uma nova corrente é este teste.

Muda para o menor pinhão na traseira e o maior prato no pedaleiro e com os dedos puxa a corrente onde ela está posicionada na frente do prato (às 15 horas). Se a corrente levantar na parte superior ou inferior, onde assenta nos dentes do prato, então é sinal que a corrente está gasta ou prestes a chegar a esse ponto.

Medidor de corrente

A forma mais precisa de confirmar o desgaste da corrente, é com um medidor de correntes. Existem de diversas marcas e uns mais completos que outros, mas o principio é sempre o mesmo, saber se a corrente já esticou o suficiente ao ponto de precisar de ser substituída.

A compra propositada desta ferramenta é dispensável uma vez que não a deverás usar com tanta frequência, por isso numa visita à tua loja de bicicletas habitual, poderás pedir para fazerem esta verificação.

Medir distância entre elos com régua

Uma outra forma de medir o desgaste, é com a ajuda de uma régua. Este método é preciso mas podes ter dificuldade em alinhar perfeitamente a corrente para a medição.

Por norma, a corrente tem um rebite a cada meia polegada (quando nova), então medindo a distância entre um determinado número de elos é possível saber se ela está esticada para além do aconselhável e está na hora de trocar.

Teste: com a corrente ainda na bicicleta, coloca a marca de zero polegadas da régua directamente em cima do centro de um de rebites da corrente. Agora conta 12 elos completos (24 pinos). O 12º elo deverá estar perfeitamente alinhado com as 12 polegadas na régua.

Como regra geral, se o rebite estiver 1/16″ (0,5%) para além da marca, então é a hora de colocar uma nova corrente. Se o valor for superior a 1/8″ de diferença, então a corrente foi usada até à “morte” e é provável que precises também de uma cassete nova.

Esta diferença não é perceptível entre dois rebites adjacentes, portanto, na medição tem que de usar 12 elos (lembra-te de manter a corrente esticada).

Porquê substituir a corrente?

Lembra-te de que usar uma corrente para além do seu limite de desgaste, irá desgastará prematuramente a cassete e pratos pedaleiro, portanto, ter em atenção esta tarefa e uma manutenção de rotina da corrente pode economizar muito dinheiro e complicações a longo prazo.