Aumente a eficiência e a durabilidade dos travões com estas 10 recomendações.

Apesar dos travões hidráulicos serem um dos componentes da bicicleta que exigem menos atenção frequente, existem dez cuidados a ter, que podem melhorar a sua experiência de travagem e aumentar a longevidade dos travões.

-Publicidade-

 

Verificar o desgaste das pastilhas

As pastilhas devem ser trocadas sempre que tiverem gastas ou contaminadas. Por norma, a espessura da pastilha deve ter mais de 1mm, caso contrário está na hora de a substituir. Contudo, verifique as recomendações do fabricante quanto as especificações de desgaste.

Comparação entre pastilhas novas e pastilhas a necessitar de substituição

Pastilhas contaminadas com óleos ou outros produtos, podem diminuir o poder de travagem e acelerar o desgaste dos discos. Podem ser identificadas pelo chiar ao travar ou manchas escuras nos discos.

 

Substituir discos gastos

Assim como as pastilhas, os discos de travão também sofrem desgaste, ficando mais finos com a utilização. Um disco mais fino do que o recomendado torna-se mais frágil e além de comprometer a travagem, coloca em causa a sua segurança.

Pode verificar se o seu disco refere a “Min. Tickness” recomendada

Grande parte dos fabricantes de discos recomendam a sua substituição quando a espessura é inferior a 1.5mm (pode verificar se o seu disco tem essa informação gravada).

 

Não tocar na superfície do disco

A oleosidade natural da pele poderá contaminar a superfície do rotor, diminuindo o poder de travagem. Por sua vez, por contacto indirecto também as pastilhas podem ficar contaminadas.

Este conselho, é ainda mais relevante, durante o uso da bicicleta. Após travagens mais exigentes, o disco chega a ficar quente o suficiente para causar graves queimaduras na pele. Por isso, muito cuidado com essas mãozinhas!

 

Não contaminar as pastilhas e discos

Durante a manutenção da bicicleta, pode inadvertidamente sujar os discos ou pastilhas com lubrificante ou qualquer outro fluído oleoso. Se for o caso, limpe de imediato o disco e as pastilhas com um pano limpo embebido em álcool isopropílico ou com um produto próprio para a limpeza dos discos de travão.

A utilização de pastilhas contaminadas, torna-as por norma irrecuperáveis. A fricção irá aquecer as pastilhas e o calor só irá piorar a recuperação das mesmas. Se não forem limpas atempadamente, o aconselhável é a sua substituição.

 

Não desempenar os discos sem as ferramentas necessárias

O disco de travão é um componentes que deve funcionar de forma precisa, logo, uma vez empenados devem ser realinhados com o auxílio da ferramenta apropriada. Tentar desempenar o disco à mão, sem o auxilio da ferramenta certa poderá danificar de forma permanente o disco.

Visite o seu mecânico para desempenar o disco

Realizar o “bedding” das pastilhas novas

Quando coloca novas pastilhas de travão, é necessário “acamar” a pastilha ao disco! Isto garante a máxima eficiência na travagem, ao ‘moldar’ corretamente a sua superfície à do disco.

  1. Comece por limpar o disco com álcool ou um produto próprio.
  2. Instale as novas pastilhas, sem tocar na superfície que está em contacto com o disco.
  3. Já com as novas pastilhas instaladas, deve ir para um lugar onde tenha espaço para pedalar. E pedale até atingir uma velocidade moderada e lentamente vá travando até quase parar.
  4. Repita este procedimento umas 10 a 20 vezes e as suas novas pastilhas irão se moldar com os discos e a performance da travagem ficará a 100%.

Não travar sem os discos postos

Seja por motivo de manutenção ou de transporte da bicicleta, nunca se deve pressionar a manete do travão sem que a roda esteja colocada e o disco esteja entre as pinças do travão. O que irá acontecer, é que os pistões irão empurrar as pinças e as pastilhas irão encostar.

Para poder colocar novamente o disco, é necessário utilizar uma ferramenta ou espátula em plástico para afastar as pastilhas, ganhando assim espaço suficiente para o disco. Se não tiver espaço suficiente para este procedimento, retire as pastilhas e empurre directamente os pistões para dentro (com cuidado).

Para evitar pressionar a manete acidentalmente durante o transporte, pode utilizar um espaçador de plástico próprio ou , por exemplo, um pedaço de cartão grosso entre as pastilhas.

Utilizar o fluido correcto no sistema hidráulico

Existem dois tipos de fluídos usados nos travões de disco hidráulicos: DOT e óleo mineral, que são totalmente incompatíveis. Logo usar DOT nuns travões de óleo mineral ou vice-versa, irá danificar os travões.

Não misture fluidos DOT de graduação diferente e siga sempre a recomendação do fabricante. Em relação ao óleo mineral, fique ciente que este poderá variar de marca para marca e desta forma é aconselhável utilizar óleos minerais da mesma marca que o fabricante do travão da sua bicicleta.

Manutenção do fluído

Se os travões tiverem uma sensação esponjosa e indistinta ou simplesmente desaparecerem em descidas longas, é provável que seja devido a bolhas de ar no sistema ou ao fluido contaminado.

É recomendável que o liquido dos travões seja trocado pelo menos uma vez por ano ou sempre que note que o comportamento dos travões está diferente do habitual. Note que os fluidos do tipo DOT, que são higroscópicos, absorvem humidade com o tempo de uso, por isso tenha estes em especial atenção.

Alinhamento da pinça do travão

Se o seu disco não rodar livremente (resultando em atrito ou barulhos), a pinça pode estar desalinhada.

  1. Pode corrigir isso desapertando os dois parafusos que prendem a pinça ao quadro ou garfo, apenas o suficiente para que a pinça fique solta e se mova ligeiramente de um lado para o outro.
  2. Em seguida, pressione a manete do travão correspondente, com força. Isso irá prender a pinça ao rotor.
  3. Continue a pressionar a manete do travão enquanto aperta os parafusos da pinça até ficar presa.
  4. Verifique se agora o disco já roda livremente e aperte novamente os parafusos com o torque recomendado.